Quando o silêncio, os suspiros e os olhares falam mais do que mil palavras

fevereiro 28, 2013 § Deixe um comentário

Quantas vezes não nos deparamos com encontros que olhares e suspiros contam mais do que mil palavras que você tenha a dizer? Quem nunca viveu uma situação dessa nunca amou de verdade outra pessoa. Quando ocorreu amor por uma das partes, ao menos, os olhares bastam para falar de arrependimentos, do amor que ainda sentimos, da esperança que ainda temos e das saudades que matam o coração. Um olhar vale mais do que qualquer “Eu te amo” bravado ao vento ou um “Eu não te amo mais” dito baixinho só para fazer-se lembrar. Olhares trocam mais do que simples letras e orações. A palavra fere, o olhar mata. O olhar declara todo amor para dentro do coração do outro através da janela da alma. As palavras jogam o amor ao vento e talvez não consigam alcançar o destino, por um desvio no meio do caminho, ao coração do outro.

Tudo isso transpira de minha mente após assistir ao vídeo da perfomer Marina Abramovic que passou, em apenas um minuto de olhar, tudo o que viveu com Ulay. Separados desde a década de 70, depois de 5 anos de relacionamento. Para a separação viajaram até a Muralha da China onde percorreriam de pontos opostos até se encontrarem no meio dela e pela última vez se despedirem. Depois de 20 anos separados, Marina encontraria Ulay, em um de suas instalações no MoMa, onde tinha sua retrospectiva exposta. Nessa instalação Marina ficava em silêncio diante de um estranho por um minuto. Porém certo dia, Marina se deparou com um rosto conhecido e junto dele encontrou todas as emoções que poderia trazer em um minuto e nenhuma palavra.

Anúncios

Procura-se

fevereiro 24, 2013 § Deixe um comentário

2

Procura-se amor que conte estrelas.

Pelas paredes

fevereiro 21, 2013 § Deixe um comentário

IMG10920

Na sala de aula, uma antiga declaração de amor, escrita em giz, já quase se apagava com o tempo. Um simples “Meu amor” e o nome da amada. Leu a declaração e sentiu conforto por saber que alguém amava Tereza. O nome era o mesmo daquela que ele amou no passado e pensou ser o único grande amor de sua vida. Volta e meia, em seus dias, o nome voltava em sua mente. Não mais em roupantes desesperados de paixão. Talvez nem mesmo com o amor que achava que sentia. Mas sempre vinha aos pensamentos. Achava graça disso e sempre carregava junto com o pensamento um sorriso no rosto, lembrando o quanto imaturo era todo aquele amor que achava sentir. O fizera chorar por noite e dias mas agora era leve pois não mais carregava a necessidade de ser consumado. Vivia agora ele apenas com a vontade de ser sempre lembrado com alegria por ter um dia existido em seu peito. Novamente leu a inscrição na parede, tentou imaginar como seria a amada do apaixonado em questão. Pensou se a tal Tereza o amava ou era aquele também um amor não correspondido precisando ser extravasado. Nunca saberia. Deu de ombros para sua dúvida e sentou-se em uma das cadeiras da sala. Sua mente esqueceria a inscrição e a antiga amada. E assim sua vida mesmo esquecendo os segundos de lembranças voltava a fazer sentido apenas por ter relembrado que seu coração ainda reconhecia o amor.

Almas

fevereiro 13, 2013 § Deixe um comentário

‎”Muita gente por ai chamando alma penada de alma gêmea.”

 Priscilla Guerra

Carnaval Carioca

fevereiro 10, 2013 § Deixe um comentário

Carnaval Carioca

Bloco Exalta Rei e folião bem humorado.

Como se preparar para os blocos de rua no Rio de Janeiro:

fevereiro 9, 2013 § Deixe um comentário

Trabalhador do Carnaval

fevereiro 8, 2013 § Deixe um comentário

“João trabalhou, durante dois meses para construir, a estrutura para a maior festa do mundo. E vai assistir a tudo de camarote. Ali, bem do lado da Apoteose, de cima do viaduto 31 de Março.”
 
Priscilla Guerra

Onde estou?

Você está atualmente visualizando os arquivos para fevereiro, 2013 em Palavras pra Iaiá.