Um amor simples assim…

dezembro 31, 2012 § Deixe um comentário

‎”Quero um amor que continue a olhar para todas as outras mulheres e volte a me escolher todo dia.”

 

Via facebook

Anúncios

Pai

dezembro 18, 2012 § Deixe um comentário

A mãe dormia na cama vazia, enquanto ela  sozinha no quarto ao lado chorava sozinha. Não conseguia dormir. Levantou  e foi até  a sala. Lembrou, que na infância, a mãe dizia que chamar pelo pai, debaixo da mesa da sala, fazia ele chegar em casa mais rápido. Afastou uma das cadeiras da mesa e sentou debaixo. Chamou três vezes pelo pai. Esperou uns minutos e o sono chegou. Dormiu ali debaixo. E o pai não voltou. Tinha ido comprar cigarros um mês antes e nunca mais voltou.

Priscilla Guerra

As Sem – Razões do Amor

dezembro 14, 2012 § Deixe um comentário

As Sem - Razões do Amor

Dois Infernos

dezembro 13, 2012 § Deixe um comentário

O inferno dependendo de quem você quer mandar parece tão longe ou tão perto. O mais comum é desejarmos mandar todos para o mais distante. São aqueles que você não aguenta ver mais pintado de ouro ao seu lado. Para O longe servem esses. Mas aqueles que mesmo te atazanam a vida diária, perseguem seus pensamentos e irritam pelo fato de existir errado na sua vida, esses a gente pode mandar para um inferno perto. Vá mas volte. Mas por que ter de volta? Pois são esses que mesmo infernizando sua vida, você não consegue viver sem. Mesmo mandando para o inferno todos os dias. Eles vão mas esperamos que voltem todos os dias. Pois então vá lá. Mas volte, pois sem você não dá.

Priscilla Guerra

“O inferno nem é tão longe
Bem depois de onde nada se esconde
Mais perto do que distante
Não demora muito e ele chega pra qualquer um”

“Não vou te mandar pro inferno porque eu não quero
E porque fica muito longe daqui”

Então o que é?

dezembro 11, 2012 § Deixe um comentário

– Então?

– Então o que?

– É só isso?

– Mas o que é?

– Não o sei. Não falta nada?

– Não entendo.

– Ah entendi sim. Seus olhos falam tudo.

– Mas eu não quero dizer nada. Como pode?

– Você não percebe mas seus olhos dizem.

– O que você ouve deles?

– Você não sente nada mesmo?

– Sinto mas não sei o que é.

– Sabe sim. Tá aqui ó. Saindo do seu coração. Faça.

– Faz o que?

– Não pergunte. Apenas faça o que ele deseja.

– Estou sem ar.

– Mas é pelo o que sente.

– Minha mão está quente.

– A minha também. Sinta.

– Sua mão no meu corpo…

– Sente o arrepio?

– Sinto.

– Então você sente o que ele quer dizer.

– Sim, sempre senti.

Priscilla Guerra

Sexta-feira de Oxalá

dezembro 11, 2012 § Deixe um comentário

Arrumou-se naquela tarde de sexta. De branco se vestiu. Paz e tranquilidade naquela tarde de Oxalá. Espírito de graça e paz reinavam em seu coração. E para sentir não precisava de ninguém apenas de seu interior esquecido de todos os exteriores.

Priscilla Guerra

Microcontos

dezembro 11, 2012 § Deixe um comentário

” E Ele continuava com os pensamentos Nela…”

Priscilla Guerra

Onde estou?

Você está atualmente visualizando os arquivos para dezembro, 2012 em Palavras pra Iaiá.