A cabeça do tamanho do mundo

outubro 27, 2011 § Deixe um comentário

          Nunca tinha estado ligada a alguém. Pensava se tinha como aprender a deixar de ser solitária agora. Agora não era ela apenas. Existia mais alguém ao seu lado e isso ela nunca havia vivido. O medo de fazer tudo errado era grande. E parecia estar fazendo tudo aquilo errado. Mas como e onde aprender? Como viver aquela nova vida que se aportava em sua frente? Por mais que falasse e ouvisse opiniões mais sinceras de todos, apenas ela sabia o que sentia dentro do peito e o que se passava por sua mente. Sua vida não era dela apenas. Mas por que não? O que a fazia não ter a tal liberdade tão discutida naquela noite? Essa falta de liberdade era muito maior do que ela. Como tomar as rédias dessa tal liberdade e vivê-la? O que não faltava em sua mente era questionamentos. Percebia que maturidade nenhuma ligação tinha com idade. Por mais que mais velha fosse era madura? Responsável talvez mas madura não se sentia. Parecia uma criança. Uma adolescente medrosa. Ou apenas insegura. E onde estaria sua segurança? Na vida longe dos seus? Em uma revolução completa em sua vida talvez distante daquelas que mais tinha carinho e admiração? Fato que não tinha respostas para todas essas questões. Sua mente  parecia do tamanho do mundo. Rodava nos mesmo pensamentos, nas mesmas frases e questionamentos e em nenhuma conclusão. Talvez não chegasse em nenhuma. Talvez aquilo passasse. Mas sentia que não ia passar e que tinha uma necessidade maior que tudo naquele momento. Só precisava de coragem. Não era uma mulher corajosa. E desta vez era uma coragem totalmente diferente da antiga coragem que descobriu ter. Uma coragem não egoísta. Pois não era apenas por ela. Sabia que essa era a maior necessidade dela ter coragem. Se não sentira escorrer por entre os dedos a tal felicidade que tanto buscou e que enfim parecia ter encontrado.

Priscilla Guerra

Microconto: Falta

outubro 21, 2011 § Deixe um comentário

“E ela percebeu que algo começava a pertencer ao seu coração e quando por perto não estava fazia uma falta que não tinha como substituir.”

Priscilla Guerra

Um dia frio

outubro 18, 2011 § Deixe um comentário

O dia passou chuvoso e ela quase não notou. A noite chegava junto com o cansaço. Sentou-se em uma mesa afastada do café cheio com vários como ela esperando a chuva passar. Pediu um cappuccino. Enquanto esperava sentiu-se só no meio de todos aqueles que acompanhados estavam em suas mesas. Naquele momento, seu coração sentiu o frio da noite. E mesmo com o líquido quente que agora bebia este parecia não aquecer. Seu corpo sentia o frio chegar cada vez mais forte. Seu corpo enconlhia-se dentro do casaco. Naquela noite parecia que nenhum pano ou líquido seria capaz de aquece-la como o corpo que desejava ter junto ao seu. Tomou mais um gole do café e voltou para a chuva. Continuou seu caminho. O frio daquela noite não seria ela capaz de sozinha afugentar. Chegou na casa vazia e deitada apertou-se junto ao coração que fraco batia de solidão.

                                                                                                                                                                                    Priscilla Guerra

Don’t worry…

outubro 11, 2011 § Deixe um comentário

               Tudo vai dá certo. Tudo dá certo no final. Se não deu não acabou. É clichê mas é fato. Levanta, dá a volta por cima e continua. Caminha, anda, corre que lá na frente algo te espera. O milagre existe porque somos autores deles. Nossa fé na verdade não precisa ser em religiões, em Santos ou Orixás. Pedimos as coisas com fé mas ela são atendidas porque nós corremos atrás delas Tudo vai dá certo. Tudo dá certo no final. Se não deu não acabou. É clichê mas é fato. Levanta, dá a volta por cima e continua. Caminha, anda, corre que lá na frente algo te espera. O milagre existe porque somos autores deles. Nossa fé na verdade não precisa ser em religiões, em Santos ou Orixás. Pedimos as coisas com fé mas ela são atendidas porque nós corremos atrás delas e conquistamos. Porque a fé está com a gente. A fé é em nós. Por isso, caiu? Levanta, corra para olhar o céu mas caminhe. Caminhe em direção a tudo aquilo que você deseja. E a tudo aquilo que vai ter fazer bem e trazer o bem. E nenhum problema dever ser maior do que a nossa vontade de transformá-los em soluções. Esse é muito vibe sentada na varanda tomando cerveja depois da praia olhando a tarde descer: e conquistamos. Porque a fé está com a gente. A fé é em nós. Por isso, caiu? Levanta, corra para olhar o céu mas caminhe. Caminhe em direção a tudo aquilo que você deseja. E a tudo aquilo que vai ter fazer bem e trazer o bem. E nenhum problema dever ser maior do que a nossa vontade de transformá-los em soluções. 

Priscilla Guerra

Essa é muito vibe sentada na varanda tomando cerveja depois da praia olhando a tarde descer:

Onde estou?

Você está atualmente visualizando os arquivos para outubro, 2011 em Palavras pra Iaiá.